Tarefas domésticas como um exercício de compreensão

 

capa post mulher que reclamaVisitando um amigo, ele me contou que a mulher dele sempre reclamou dele não ajudar nas tarefas de casa e que tem tentado melhorar faz um tempo, mas que está sendo muito difícil.

Nós homens, muitas vezes, pecamos nisso. Contudo, tenho percebido uma galera sensível a essa melhora. É claro que, infelizmente, ainda existem aqueles homens que vivem fora de sua época, machistas por excelência, por acharem que a mulher deve ter jornada dupla, tripla às vezes, enquanto nós poderíamos ficar jogados no sofá esperando o próximo dia de trabalho.

Retomando a história, observei a situação: o sujeito passou um tempão lavando a louça do almoço, ensaboando tudo, colocando no escorredor – ríamos do medo gigante de se quebrar algo do conjunto de jantar que só se usa quando tem visita.

mulher reclama 7

Ao terminar, chega ela com a arrogância de quem domina o assunto dizendo: “não ficou bom!”, “tá sujo!”, “tenho que lavar tudo novamente”. Ele ficou meio envergonhado, mas passou e até rimos. Eu disse que é assim mesmo e que pelo menos ele está tentando ajudar e diminuir a carga de trabalho sobre ela.

Mais tarde, ao conversarmos todos, ela voltou ao assunto, agora na minha presença, dizendo que além de ter lavado novamente, ele ainda gastou material de limpeza, entre outras reclamações. Quebrou, assim, uma das regras mais importantes da existência masculina (risos): não desmereça, insulte, desqualifique ou chame a atenção do seu companheiro, ou qualquer homem com o qual pretenda alguma coisa na frente de outro homem, ainda que ele seja muito seu amigo. Acho que isso também vale para o homem, em relação a não chamar a atenção ou desmerecer a sua mulher. No entanto, não usei genericamente porque toda sorte de pessoas lê o blog, inclusive os machistas, e, na qualidade de escritor iniciante de araque de fim de semana, não posso desconsiderar público nenhum… Risos.

mulher reclama2 mulher reclamando5

Entretanto, o que acho importante aqui é que quando seu companheiro resolver te ajudar ou atender seu pedido, você não pode castigá-lo, humilhá-lo e muito menos deixá-lo constrangido. Não suportar o jeito como ele faz as coisas é um problema seu e não dele. Temos que entender que, quando não somos nós que fazemos as coisas, elas não serão feitas como costumamos fazer, mas nem por isso serão ruins.

Não é falta de boa vontade em ajudar, talvez seja o outro que não suporta o jeito como ele faz. Ela pode estar certa que não foi bem feito, óbvio que ele não chegará nem próximo da eficiência dela nas primeiras vezes que fizer. Só de tentar e querer ajudar, porém, já é um começo.

mulher reclamando 6 mulher reclama1Essa energia pode ser utilizada para fazê-lo aprender ou esperar um pouquinho até que ele acerte. Para que o cara cozinhe bem, primeiro ele vai ter que cozinhar mal, vai começar estendendo a roupa torta até pegar a manha dos pregadores e por aí vai. Só que a mulher quer que ele acerte de primeira, sem erro. Não é razoável, não é justo.

Frases do tipo “você não sabe fazer”, “deixa que eu faço”, “vou ter que refazer tudo” não ajudam ninguém. Seu companheiro não vai se candidatar novamente ouvindo isso. A mulher deveria ter ensinado ele a ajudá-la. Quer dividir as tarefas? Aproveite a boa vontade dele e perca tempo ensinando-o a deixar tudo como você gosta.

Homem, com o devido respeito, é mais ou menos como funciona com animais domésticos que tanto amamos: você tem que dar um biscoito quando ele acertar.

Abraços,

 cropped-IMG_20141004_1545041.jpg

Comente pelo Facebook

Comentários

José Guimarães Gomes Júnior

About José Guimarães Gomes Júnior

Quando criei o Questão de Interessância, pensei numa forma de dividir e divulgar ideias, além de oferecer e compartilhar espaço com quem não tem. Gosto de escrever durante a noite na companhia da insônia que frequentemente me visita. Escrevo também nas viagens para o trabalho, já que o trânsito caótico e o transporte público de má qualidade do Rio de Janeiro me proporcionam tempo para isso.